Gestão de produtividade no varejo: veja aqui como fazer

Gestão de produtividade no varejo: veja aqui como fazer

Pricefy

17/4/2018

This is some text inside of a div block.
September 15, 2021
This is some text inside of a div block.

A produtividade dos colaboradores está diretamente relacionada à lucratividade e rentabilidade de uma empresa. Isso cria a necessidade de uma gestão de produtividade no varejo que seja capaz não só de melhorar a atuação dos profissionais que estão no ponto de vendas (PDV), mas também de impactar os negócios de maneira positiva.

Existe uma série de estratégias que contribuem para uma administração mais eficaz no varejo. A seguir, apresentamos algumas das principais e como elas impactam o desempenho do colaborador. Confira!

Padronização dos processos

Um dos maiores erros que as empresas cometem é não realizar a padronização dos processos. Se aumentar a produtividade é um dos objetivos da organização, é imprescindível que ela adote um processo que ajude a manter uma regularidade das atividades.

Quando não há uma rotina de trabalho bem definida, o trabalho da equipe é prejudicado como um todo. Isso porque podem surgir dúvidas com maior frequência, o que leva a atrasos, perda de tempo, falhas na execução e improvisos.

Logo, é necessário mapear todos os processos, a fim de identificar onde estão as falhas e dificuldades da equipe. Assim, será possível definir uma reestruturação que promova agilidade e eficácia nas atividades dos colaboradores.

É a partir da padronização dos processos que será possível acompanhar as métricas de desempenho e implementá-las com eficácia, como conheceremos melhor a seguir.

Faturamento obtido na venda dos produtos

A atividade base do varejo é a venda. Logo, nada mais adequado que uma métrica que meça o faturamento obtido com a comercialização dos produtos. Ela ajudará a identificar a produtividade da equipe, bem como os seus erros e acertos com relação à abordagem dos consumidores.

Para ter dados concretos e mais fiéis sobre a produtividade da equipe, é preciso levar em consideração as vendas do mês e as vendas que não foram concluídas, realizando uma análise comparativa com os meses anteriores. Vale a pena ressaltar que é necessário considerar fatores como a sazonalidade, pois eles têm influência direta sobre esse indicador.

Verificação da produtividade da equipe

Existe um indicador que é capaz de mostrar exatamente quais as falhas na produtividade de uma equipe. O cálculo dele é realizado da seguinte maneira:

Produtividade = faturamento geral/ número de colaboradores

Por meio desse indicador, é possível observar se a equipe está com sobrecarga de trabalho ou se ela se encontra ociosa. O ideal é que ele seja avaliado por três meses consecutivos. Assim, será possível abranger as sazonalidades do negócio e/ou comparar os dados obtidos com o desempenho do ano anterior.

O indicador alto corresponde à falta de colaboradores, sendo necessária a adoção de uma medida de contratação para suprir essas necessidades. Por sua vez, o indicador baixo mostra que existe muita ociosidade dentro da empresa, ou seja, há funcionários demais, o que pede um reajuste da empresa. Agora, se o indicador está na média, significa que a equipe está otimizada.

Rotatividade de mão de obra

Um indicador muito importante no processo de gestão de produtividade é a rotatividade da mão de obra, ou taxa de turnover. Ele permite avaliar a quantidade de demissões em um período e o número de funcionários ativos no mesmo período, mostrando claramente o poder do RH na retenção de talentos.

A rotatividade auxilia no processo de cálculo da produtividade, pois, quando há um alto índice de funcionários entrando e saindo da empresa, provavelmente os processos tendem a levar mais tempo para serem executados. Isso porque será preciso treinar novos colaboradores de acordo com as funções desempenhadas pelos funcionários desligados.

Aliás, o alto índice mostra que deve existir uma mudança de postura da empresa. Afinal, por quais motivos os colaboradores estão deixando o negócio? Consequentemente, com dados mais concretos, ela conseguirá propor estratégias mais eficazes para que os funcionários não só permaneçam na organização, mas também potencializem a performance.

Número de clientes atendidos

Antes de explicarmos sobre esse indicador, é importante ressaltar que ele não deve ser utilizado como uma métrica de vaidade. Isso significa que o número de clientes dissociado de outras questões não é o único aspecto que importa na produtividade da equipe. Ou seja, um grande número de clientes atendidos não significa necessariamente a qualidade das vendas.

Voltando ao indicador: ele o ajudará a ter um controle de quantos clientes foram atendidos em determinado período. O monitoramento poderá ser feito de diferentes maneiras, dependendo diretamente do método de vendas utilizado. A partir desse controle, será possível avaliar se há um aumento ou redução no número dos clientes.

Independentemente disso, é importante ir a fundo nas causas que levaram a esse fator, como dissemos no início do tópico.

Resultado de vendas

Já mostramos o indicador de faturamento de vendas, agora, mostraremos o resultado de vendas. Ou seja, se houve a concretização delas ou não. Existem vários motivos pelos quais uma venda não é concretizada, muitos deles ligados diretamente à abordagem da equipe responsável. Quando as finalizações estão muito baixas, significa que a habilidade de conversão dos potenciais consumidores em clientes está falha — o que pode estar relacionado há um erro estratégico.

Problemas no próprio PDV podem levar à baixa produtividade. Entre os pontos conhecidos, está o cartazeamento. Quando um produto fica exposto sem cartaz, mesmo que tenha um preço muito competitivo, ele não vende.

Quando o processo é feito de maneira correta, há um ganho significativo na produtividade. Isso porque o cartazeamento melhora os níveis de reconhecimento e distinção entre as ofertas pelos clientes. Além disso, exclui os erros humanos no processo, como a grafia incorreta ou informações incompletas.

Ou seja, acompanhar o processo de cartazeamento, para garantir a sua aplicação, significa garantir resultados em vendas. Isso porque a equipe terá mais facilidade em ajudar o cliente e este, por sua vez, mais facilidade em compreender informações práticas sobre o produto, facilitando, assim, o processo de venda..

O principal desafio da gestão de produtividade é trabalhar para atingir a máxima performance em prol do negócio. Para isso, é necessário que a equipe esteja engajada e tenha em mente que fazer mais é possível, sem deixar a qualidade de lado, o que diferencia a sua empresa das concorrentes.

Sobre esse último tópico em específico, você tem notado que as objeções de compras têm ocorrido com frequência no PDV? Entre em contato conosco e conheça os nossos serviços. Temos certeza de que a solução está mais próxima do que você imagina!

Conteúdos relacionados