8 formas de usar visual merchandising em lojas de varejo
Marketing de Varejo

8 formas de usar visual merchandising em lojas de varejo

Pricefy

8/12/2017

This is some text inside of a div block.
April 22, 2021
This is some text inside of a div block.

Quem trabalha no varejo está sempre preocupado em superar metas e aumentar as vendas. Para isso, é necessário muito mais do que produtos de qualidade, uma loja limpa e organizada ou vendedores eficientes. É preciso buscar melhores maneiras de se comunicar com o público. É por isso que técnicas de visual merchandising (VM) são tão importantes, não só para atrair o cliente no PDV, como para estimulá-lo a comprar mais.

O varejo utiliza diversas formas de se comunicar, como publicidade em jornais, revistas e televisão, estratégias de divulgação on-line, marketing direto, promoção no ponto de venda etc. No entanto, o visual merchandising é capaz de conferir um grande diferencial para a marca, levando em conta que a maioria das decisões de compra é tomada no PDV.

Neste post, você vai conferir o que é visual merchandising e como aplicá-lo em lojas de varejo com algumas dicas fundamentais. Continue aqui conosco e boa leitura!

O que é visual merchandising?

De forma resumida, é toda ação que esteja relacionada à experiência de compra no ponto de venda. Toda exposição planejada de um produto é visual merchandising, o que significa que tudo o que consumidor vê e toca pode ser estimulado por ações estratégicas. É uma parte do marketing que tem por objetivo aumentar o volume de vendas por meio de ações que estimulem a compra.

A sua marca tem a responsabilidade de comunicar a identidade da loja, o conceito do negócio, de modo que o shopper entenda o seu posicionamento de imediato. Nesse aspecto, o visual merchandising coordena uma política de design que captura a atenção e transmite de forma silenciosa o valor da marca.

O que é experiência de compra com o visual merchandising?

Chamamos de experiência de compra todo o processo de compra do cliente, desde o momento em que ele olhou a vitrine até a hora em que utilizou o produto. Nesse intervalo, há muitos elementos que podem interferir nessa experiência, causando impacto positivo ou negativo.

Um VM eficiente procura transformar esse processo de compra na melhor experiência de marca possível para gerar vendas futuras. Afinal, o objetivo é atrair o cliente e fazê-lo comprar. Quando o cliente se identifica com a loja e se sente confortável ao entrar e ter contato com o produto, ele cria uma imagem positiva da empresa e compra mais.

Além disso, o visual merchandising busca evidenciar todos os produtos que estão à venda e ir além dos que estão na entrada no estabelecimento, explorando as zonas frias e de menor circulação. O objetivo é atrair olhares para todos os produtos da loja, desde os principais até os acessórios.

É por isso que você, provavelmente, já entrou num supermercado para comprar um produto de limpeza e saiu com alguma guloseima que viu no balcão do caixa na hora de fazer o pagamento. O produto não estava lá por acaso e, caso estivesse em outro lugar, provavelmente passaria despercebido.

É papel do visual merchandising garantir que o cliente veja todos os produtos da loja. Assim, é possível criar o desejo de compra de algo complementar ao produto que ele procura, justificando a aquisição.  

Como aplicar o visual merchandising a lojas de varejo?

Para que o seu cliente se sinta atraído pelos produtos da sua loja, existem várias técnicas que podem ser utilizadas, desde a disposição das peças na vitrine até a iluminação. Confira, agora, algumas estratégias que você pode aplicar para fazer mais sucesso com os clientes e com as vendas:

1. Planeje cuidadosamente a sua vitrine

A vitrine é a primeira impressão que o cliente tem da sua loja, sendo a primeira responsável por promover compras por impulso. Além disso, os produtos expostos na vitrine são os que costumam ser mais vendidos, por isso planeje-a de forma que ela mostre a identidade da sua marca.

Algumas técnicas nas quais vale a pena apostar são nunca deixar produtos no chão (pode passar uma ideia errada de valor) e procurar utilizar manequins em poses menos rígidas e mais humanas. Isso ajuda o cliente a se identificar com o que está sendo exposto.

2. Organize a sua loja de acordo com o público-alvo

O seu espaço precisa atender às necessidades do seu público. Uma loja para crianças não deve ter o mesmo layout de uma voltada para surfistas. Em uma loja de moda feminina, por exemplo, é preciso dividir as peças entre roupas para ocasiões festivas, verão, dia a dia e até produtos em promoção.

3. Tenha atenção com a sinalização

A sinalização da sua loja, a começar pela vitrine, é uma das grandes responsáveis por iniciar a comunicação e chamar o cliente. Uma vez lá dentro, ela vai ajudar o consumidor a encontrar facilmente o que procura e transitar sem dificuldade pelo ambiente.

4. Guie o cliente com a iluminação

Junto à sinalização, a iluminação também guia o cliente, criando pontos focais para determinados produtos e até disfarçando peças de qualidade inferior com luzes mais suaves. Nesse ponto, cuidado para não passar a impressão errada sobre o seu produto: nem toda loja com iluminação baixa faz isso porque é de baixa qualidade.

A iluminação também reflete o posicionamento da marca, a sensação que a loja quer passar para o shopper, o ticket médio do produto etc.

5. Garanta que o produto seja visto várias vezes

Um dos aspectos mais importantes numa estratégia de visual merchandising são os facings, ou a quantidade de vezes que um produto precisa ser mostrado ao cliente até que ele se convença de que deve comprá-lo.

No caso de lojas de roupas, o ideal é que os cabides repitam o mesmo modelo aproximadamente quatro vezes antes que outro seja apresentado na arara.

6. Utilize todos os espaços

A sua loja é composta por zonas quentes e frias. As quentes são por onde as pessoas invariavelmente passam, como a entrada. Nessa área, os produtos expostos serão mais vistos, mas não se deve ignorar os outros espaços.

Você pode explorar as zonas mais frias colocando os produtos de maior rotatividade nela, fazendo com que o cliente vá no sentido dessa zona e visualize uma quantidade maior de produtos. Nas zonas quentes, como os caixas, exponha os produtos com menos saída para estimular as compras não planejadas.

7. Estimule os sentidos

Faça com que a visita à sua loja seja uma experiência sensorial estimulando todos os sentidos do shopper. Use um aroma característico para que ele associe o cheiro ao seu produto, toque as suas músicas preferidas e use as cores da sua marca na decoração.

8. Aposte em embalagens memoráveis

A experiência com a empresa não acaba na hora do pagamento. As embalagens têm  papel importante na hora de encantar o cliente e o acompanham até em casa. Por isso, aposte em embalagens com design inovador, que levem a identidade do seu negócio.

Uma embalagem pode ser o primeiro contato que o comprador tem com o produto e, sozinha, fazer com que ele prefira um produto antes mesmo de conhecer o que tem dentro.

Agora, que você conheceu as nossas dicas de visual merchandising, descubra por que um cartaz bem feito pode fazer a compra acontecer!

Conteúdos relacionados