Como aliar o trabalho no PDV e a tecnologia no varejo?
Inovação

Como aliar o trabalho no PDV e a tecnologia no varejo?

Pricefy

12/6/2018

This is some text inside of a div block.
April 30, 2021
This is some text inside of a div block.

A tecnologia no varejo tem se mostrado cada vez mais presente na sociedade moderna, conquistando seu espaço em lojas mundo afora, seja no setor de atendimento, na gestão de produtos ou até mesmo na exposição de mercadorias no ponto de venda.

O fato é que em um cenário tão competitivo como o atual, as organizações não têm poupado esforços e recursos para garantir o seu lugar no mercado. Sendo assim, o que não falta é criatividade quando o assunto é proporcionar uma experiência de compra positiva aos consumidores.

Neste artigo, vamos mostrar tudo o que você precisa saber sobre como aliar o trabalho no ponto de venda e a tecnologia no varejo. Quer saber mais sobre o assunto? Então, não deixe de conferir a leitura deste artigo!

Registro de produtos

Certamente, uma das atividades que mais demanda tempo e esforço dos colaboradores no setor varejista é o gerenciamento de mercadorias, não é verdade? Dito isso, poder contar com o auxílio da tecnologia na hora de coletar dados sobre produtos é fundamental para garantir produtividade e agilidade.

Os coletores de dados consistem em equipamentos portáteis capazes de capturar informações a respeito de produtos de maneira muito mais rápida, segura e produtiva.

Essas ferramentas podem gerenciar, processar e armazenar dados contidos em códigos de barras de itens e, graças à mobilidade que proporcionam, podem ser considerados como computadores de mão, sendo altamente versáteis e úteis na hora de realizar tarefas como:

  • gestão de inventários;
  • separação de pedidos;
  • recebimento de produtos.

De forma simplificada, os coletores de dados servem tanto para captar dados contidos nos códigos de barras quanto para inserção de informações pelo próprio colaborador por meio de digitação. Tudo depende da tecnologia do coletor que a empresa estiver usando.

Lembrando, ainda, que o funcionamento de um coletor de dados está diretamente ligado ao sistema de gestão (ERP) que a empresa tem integrado em seu banco de dados. Dessa forma, a captura e o processamento de informações acontece simultaneamente em um único sistema, facilitando tanto o trabalho dos operadores quanto dos gestores.

Gestão de preços

Sem dúvida, a precificação de produtos de maneira adequada é um dos verdadeiros desafios dos empreendedores do setor varejista. No entanto, com a implementação de uma solução tecnológica, essa atividade pode ser realizada de maneira muito mais segura e assertiva.

Os sistemas de automação desenvolvidos para gerenciar o cotidiano de uma empresa varejista permitem o cadastro de mercadorias, traçando dados e sugerindo automaticamente os preços que podem ser praticados em sua loja, com base em custos como:

  • impostos;
  • custos de aquisição;
  • frete;
  • despesas administrativas.

Com uma tecnologia desse porte em sua loja, é muito mais fácil e seguro definir os preços de venda dos produtos, além de minimizar os riscos de sofrer prejuízos com preços abaixo do mercado ou ter itens parados em estoque.

Para se ter uma ideia, alguns sistemas são munidos com recursos que proporcionam o detalhamento de todos os valores que incidem na sugestão de preços, permitindo a escolha do método mais adequado para formar preços de acordo com a realidade da empresa.

Atendimento

Também conhecido como Self Checkout, uma das grandes novidades em tecnologia no varejo é o autoatendimento proporcionado por sistemas inteligentes. Nele, por exemplo, o consumidor pode entrar no supermercado, colocar os produtos que deseja no carrinho e passar diretamente no caixa, sem intermediários.

Ou seja, de maneira intuitiva, ágil e automática, o cliente faz o seu próprio atendimento. A tecnologia já foi introduzida nos EUA há mais de 20 anos, mas agora vem ganhando escala o suficiente para garantir seu próprio espaço em outros lugares do mundo.

Dentre as inúmeras vantagens que o uso dessa tecnologia pode proporcionar, podemos citar a redução da necessidade de mão de obra e, consequentemente, a diminuição de custos e a otimização das funções dos colaboradores nas lojas.

Além disso, os sistemas de Selk Checkout também estão diretamente ligados às melhorias no aproveitamento dos estabelecimentos físicos, já que costumam ocupar muito menos espaço do que os caixas tradicionais de um supermercado.

Por exemplo, no mesmo espaço que um único caixa ocupa, é possível instalar até três máquinas de Selk Checkout.

Layout e merchandising

É muito comum que lojas físicas tenham espaços internos que atraiam mais clientes do que outros ambientes, não é verdade? Isso se deve a uma infinidade de fatores que podem ser difíceis de serem mensurados, sem o apoio de um sistema inteligente para cruzar dados.

No entanto, há uma novidade em tecnologia no varejo que pode permitir que os gestores saibam como medir as áreas que mais atraíram clientes no decorrer de um determinado período, bem como otimizar a tomada de decisões com base em dados precisos.

O gerente pode, por exemplo, alterar o layout e implementar medidas assertivas ao longo da semana. As ferramentas que podem auxiliar no entendimento dessa questão são:

  • contagem de clientes;
  • mapas de calor.

A contagem é realizada logo na entrada do estabelecimento, permitindo que se obtenham dados sobre os picos de visitação. Isso também pode ajudar a remanejar os funcionários para que a loja melhore seu atendimento.

Enquanto os mapas de calor mostram onde há concentração de consumidores, ajudando a descobrir em quais configurações as gôndolas e os mostruários realmente funcionam. Desse modo, os produtos e displays ficam posicionados com base em dados minuciosos, agregando valor ao seu plano de merchandising no ponto de venda.

Mostruários

Você consegue imaginar como seria se houvesse um modo do cliente poder pegar uma peça de roupa de um cabide da arara e — em uma tela de computador — ter acesso a diferentes formas de utilizá-la?

Pois bem, isso já existe e o conceito é conhecido como manequim virtual. Outra utilidade para essa tecnologia no varejo é o fato de que ela também tem sido usada para promover ofertas com base no reconhecimento de sexo e idade dos clientes, direcionando propagandas estratégicas.

O sistema pode ser ativado por um sensor de movimento, detecção de calor ou um loop contínuo com funcionalidade interativa. O fato é que tem revolucionado lojas do setor varejista ao redor do mundo.

Além disso, uma tecnologia que tem revolucionado o varejo, principalmente no que se diz respeito ao merchandising de produtos e à sinalização de preços, é o "cartazeamento" digital ou, como também são conhecidos, os cartazes digitais.

Essa ferramenta traz automação para o processo de precificação e geração de cartazes, oferecendo automação, facilidade e agilidade à rotina de empresas varejistas. Tudo se torna mais rápido, já que não é mais necessário fazer alterações manuais nos cartazes de ofertas e promoções, como ocorre nos métodos tradicionais.

Como você pôde conferir, a tecnologia no varejo é uma realidade cada vez mais comum. Implementar soluções inovadoras em sua empresa já não é mais um mero capricho, mas sim uma forma de garantir a sobrevivência do negócio em meio a uma realidade que evolui todos os dias.

Você ainda tem alguma dúvida sobre como a tecnologia no varejo pode ser uma aliada no ponto de vendas e trazer melhores resultados ao seu negócio? Quer entender melhor como podemos ajudar? Então, entre em contato conosco para saber mais!

Conteúdos relacionados