4 erros em cartazes de promoção que você deveria evitar
Marketing de Varejo

4 erros em cartazes de promoção que você deveria evitar

Pricefy

18/12/2017

This is some text inside of a div block.
May 28, 2021
This is some text inside of a div block.

Veja quais são os erros mais comuns cometidos em cartazes de promoções e como eles podem prejudicar o negócio.

Erros em cartazes de promoção podem minar a credibilidade da sua empresa. E em casos mais extremos, há a possibilidade de que o seu negócio seja processado e algum representante da organização precise dar esclarecimentos à polícia.

Para evitar essa situação, preparamos os quatro erros mais comuns nos cartazes de promoção das lojas brasileiras, bem como as principais consequências dessas falhas e as técnicas para evitar esses problemas para o seu negócio. Pronto para diminuir as falhas da sua marca? Então, continue com a gente!

1. Erros ortográficos nos cartazes

Erros ortográficos em cartazes de promoção são cometidos por pressa ou desconhecimento das normas gramaticais. Embora eles não alterem o sentido proposto, em algumas ocasiões, a mudança de uma simples letra pode transformar o cartaz em uma palavra de baixo calão. Por isso, todo cuidado é pouco na hora de produzi-los.

Confira, a seguir, alguns erros ortográficos conhecidos em cartazes de promoção:

  • roupa de inferno infantil (em vez de inverno);
  • todos os chilenos com 20% de desconto (em vez de chinelos);
  • bichinho inflávio (o correto é inflável);
  • colchão inflamável (pode até ser, mas neste caso também quiseram dizer inflável);
  • galeia italiana (em vez de geleia);
  • violenta R$ 3,89 a unidade (em vez de violeta);
  • contém glúteos (em vez de glúten);
  • home teacher (na verdade tratava-se de um home theater, não um professor);
  • absolvente (em vez de absorvente);
  • panetone pulmão (em vez da marca Pullman).

Principais consequências

O primeiro problema gerado em seu negócio causado pelos erros em cartazes é a perda de credibilidade perante o público. Em vez de se firmar como uma empresa séria e que se preocupa com os clientes, é possível que a sua marca se torne piada nas redes sociais.

Além disso, essas situações mostram que a empresa é descuidada na hora de produzir os seus materiais de divulgação, principalmente seus cartazes de promoção. Isso faz com que os usuários se sintam mais inseguros na hora de contratar serviços. Além disso, eles também podem duvidar da qualidade dos seus produtos. Afinal, você compraria um buquê de violentas ou um pote de galeia de morango? Seus clientes provavelmente também não.

Como evitar

Normalmente, os maiores problemas ortográficos nos cartazes de promoção são gerados pela falta de atenção do cartazista, uma vez que as peças são criadas manualmente, o que aumenta as chances de erros.

Por isso, evite que os cartazes de promoção sejam produzidos de forma manual e procure ferramentas que automatizem todo o processo de criação das peças. O ideal é que os dados que serão divulgados sejam importados de forma automática, por planilha ou por meio de uma integração entre os sistemas, diminuindo ou, até mesmo, eliminando as chances de erros.

Ferramentas automáticas permitem detectar e corrigir erros gramaticais e ortográficos antes que os cartazes sejam impressos. Uma vantagem adicional é que o cartaz, uma vez correto, será sempre impresso com o mesmo texto — se for o caso, basta atualizar apenas o preço.

2. Cartazes com erros de informação

Os erros de informação são aqueles nos quais, embora o texto não esteja gramaticalmente incorreto, apresenta problemas lógicos de informação ou mostra promoções que não fazem sentido por terem preços muito altos ou muito baixos.

Informações sem sentido

Em 2015, uma loja na Paraíba utilizou a seguinte chamada em um cartaz: “Chip Vivo R$ 1,00 com aparelho”. Como você já entendeu, o texto induzia à interpretação de que o telefone vinha de brinde com o chip de R$ 1,00 e, por isso, um consumidor desejou fazer a compra de quatro aparelhos por R$ 4,00. Segundo o cliente, o gerente não o tratou com cortesia e o caso foi parar na delegacia.

Preços enganosos

Quando um cliente vê um cartaz de promoção, espera que um item realmente esteja em oferta, e caso isso não seja verdadeiro, ele pode se desapontar com a empresa. Um exemplo muito comum no varejo é a criação de preços artificiais para anunciar descontos fictícios.

Por exemplo, um liquidificador de R$ 80,00 é anunciado assim: "de R$ 120,00 por R$ 80,00". Acontece que ele nunca foi vendido a R$ 120,00 e, portanto, o desconto é enganoso. O auge desse comportamento, claro, é durante a Black Friday, que por causa disso ficou conhecida, no Brasil, como "Black Fraude".

Preço maior

Situação semelhante acontece com cartazes que apresentam promoções em que o valor anterior era menor que o atual — por exemplo: "promoção: R$ 3,90" (antes estava R$ 3,70). Além de desapontar, é possível que a marca perca o crédito com os consumidores. No mínimo, erros em cartazes de promoção assim mostram falta de atenção por parte do varejista.

Por fim, e mais importante, é que o impacto futuro dos cartazes estará em xeque, já que os usuários terão mais dificuldade para acreditar no que a sua empresa diz.

Preço menor ou dois valores para o mesmo item

Talvez o pior problema em erros de informação nos cartazes de promoção seja informar um valor incorreto para o cliente. Nesse caso, o usuário realmente acredita, e de boa-fé, que poderá adquirir o item pelo preço divulgado, porém, ao chegar no caixa, se depara com um valor diferente.

Então, diversos problemas podem ser gerados para a empresa. No melhor dos casos, o usuário deve esperar que um funcionário verifique se a promoção destaca o valor informado. Isso faz com que os usuários fiquem nervosos e aflitos, além de aumentar a falta de entendimento.

Em situações mais complicadas, a empresa pode se negar a vender pelo preço divulgado, caso a diferença seja grande e se trate de um produto de alto valor. Em um caso recente, um supermercado se recusou a vender uma TV de LED de 55 polegadas por R$ 279,00. Os clientes processaram a empresa, que poderá perder tanto os consumidores quanto o dinheiro empregado.

Um efeito negativo bastante comum é a foto do cartaz de promoção com o erro ser fotografado e exposto em redes sociais, causando grande dano de imagem ao estabelecimento. É preciso lembrar que a lei protege o consumidor: havendo divergência, prevalece o menor preço. E órgãos como o Procon estão prontos para serem acionados contra o seu estabelecimento.

Como evitar

Para escapar desses problemas, é interessante que a sua marca evite o trabalho manual, uma vez que eles, em algum momento, apresentarão erros. A produção automática de cartazes de promoção faz com que não seja necessário ter várias pessoas para revisá-los e garante que as ofertas do tabloide sejam plenamente identificadas na loja.

Assim, a empresa deixa de depender de especialistas e usa aplicativos para criar cartazes online, que utilizam informações vindas das bases de dados dos sistemas e que, como já foi dito, diminuem consideravelmente as chances de erros. Sem contar que bons aplicativos para criar cartazes de promoção online também agilizam bastante o processo.

Desse modo, você evitará promoções em que, nitidamente, não há vantagens para o consumidor. Em um caso registrado nas redes sociais, uma loja vendia determinado bombom por R$ 0,59 e, se o cliente comprasse três, pagaria R$ 3,00. O problema é que a compra avulsa de três desses itens geraria o valor de R$ 1,77. Ou seja, na "promoção", o cliente paga quase o dobro!

Principais consequências

Os principais problemas desses erros em cartazes de promoções estão em confundir o consumidor, uma vez que ele não entenderá as informações passadas. Além disso, confiará menos em promoções da loja em outras oportunidades.

Caso o cartaz promocional tenha anunciado um produto com preço inferior ao que deveria, a loja terá que cumprir o que foi dito, podendo gerar prejuízo para a empresa. Além de perder o dinheiro empregado, a marca poderá diminuir os seus clientes e ter a imagem destacada em jornais e até na TV. Tudo isso faz com que a credibilidade do estabelecimento seja minada.

3. Frases ilógicas ou de duplo sentido

A desatenção e a falta de conhecimento dos produtos ou da língua portuguesa podem levar a cartazes de promoção bastante engraçados. Isso, claro, para as redes sociais, uma vez que o varejista fica só com o descrédito por parte dos clientes. Entre exemplos que podemos achar facilmente na internet estão:

  • frango bovino (será transgênico?);
  • creme dental com proteção anticaspa (é para a boca ou é xampu?);
  • desconto de 25% em todas as aves frescas, exceto o coelho (coelho que bota ovo — será o da Páscoa?);
  • atendimento exclusivo p/ linguiças (dando a entender que apenas os clientes que são linguiças podem frequentar aquela fila);
  • cortamos sua carne na hora (assustador!);
  • coloque a mão no saco para pegar o pão (sem comentários).

Como evitar

A melhor forma de evitar esse tipo de erros em cartazes é fazer uma leitura com bastante atenção. O cartazista também pode solicitar que, pelo menos, uma ou duas pessoas leiam o cartaz antes de ele ser afixado no ponto de venda. Outra prática é, antes de abrir a loja para os fregueses, verificar como o texto do cartaz se encaixa no contexto de onde ele está posicionado — como no caso da fila da linguiça.

Principais consequências

Erros nessa categoria confundem os clientes, e quando estamos confusos a chance de fazermos uma compra é menor. Diante da oferta de "frango bovino", o mais provável é comprar carne de porco, peixe ou simplesmente trocar de loja — é a melhor forma de não levar gato por lebre.

4. Erros de posição dos cartazes

Por fim, há os erros em que os cartazes de ofertas estão corretos e fazem sentido, mas estão alocados no setor errado ou com a arte indevida. Uma rede de conveniência, por exemplo, já divulgou bebidas alcoólicas com arte de “Volta às aulas”. Em outro caso, também divulgando o momento de volta às aulas, a empresa vendia facas.

Como evitar

Para evitar esse problema, mais uma vez, a automatização com o uso de programas de criação de cartazes online merece destaque. Como as informações são obtidas a partir de um software, a identificação dos cartazes será feita de forma automatizada, garantindo que os erros sejam eliminados e a imagem da empresa preservada.

Principais consequências

Ainda que esse tipo de erro seja comum, deve ser evitado, para que os usuários consigam encontrar os produtos com mais facilidade, além de impedir que os consumidores façam analogias incorretas — que crianças possam consumir bebidas alcoólicas ou manusear facas, como nos casos mencionados.

Acabar com erros em cartazes de promoção é uma tarefa quase impossível de ser realizada, visto que em todos os processos humanos há falhas. Entretanto, é possível reduzi-los e fazer com que, quando acontecerem, não tenham grandes consequências para a sua empresa. Para tanto, tente fazer as etapas passarem por processos mais profissionais para evitar dores de cabeça.

Quer receber mais dicas sobre precificação e criação de promoções? Então, assine nossa newsletter e receba conteúdos em primeira mão em seu e-mail.

Conteúdos relacionados